Ethereum vai desbancar o Bitcoin?

Ethereum vai desbancar o Bitcoin?

Ether é a cripto da rede Ethereum. Cada moeda vale hoje R$ 10.000,00. E é também a 2° cripto em captalização de mercado com 1 trilhão de reais. O 1° lugar do ranking é do Bitcoin.

E hoje cada unidade de BTC vale R$ 300.000,00. E a sua captalização de mercado é de 5 trilhões de reais. Em 2020, tanto o BTC quanto o ETH bateram records. Bitcoin subiu mais de 430%

E Ethereum valorizou absurdos 650% em reais também Essa valorização do ETH que ultrapassou o BTC foi puxada pela febre dos protocolos de Finanças Descentralizadas, ou De-Fi.

Com esse crescimento todo do ecossistema Ethereum, fica a dúvida: será que ele vai ultrapassar o Bitcoin? Esse artigo é pra responder essa dúvida!

Comparar Bitcoin com Ethereum é o mesmo que comprar ouro com eletricidade: ambos são valiosos mas têm usos diferentes.

O debate entre ‘Bitcoiners’ e ‘Ethereums’ tá cada vez mais pegado! Isso porque existe uma divisão cultural entre quem acredita no Bitcoin e quem acredita no Ethereum. Bitcoin surgiu pra ser dinheiro digital, de pessoa para pessoa e sem intermediários.

De 2009 pra cá, suas características como dinheiro sólido estão fazendo com que ele comece a ser considerado, de fato, uma reserva de valor alternativa pelo mercado tradicional, um ouro digital! Ele se conecta muito bem com os ‘Geekies’, que adoram tecnologia, mas também com quem estuda economia austríaca e quem é fã de liberdade.

Quem curte Bitcoin se orgulha de poder rodar o seu próprio ‘node’ no seu computador, de poder auditar o processamento de cada bloco e de poder auditar e conferir se as regras de consenso do Blockchain estão sendo seguidas. ‘Bitcoiners’ enchem a boca para dizer: “Não confie, verifique!”

Bitcoin é muito mais lento do que as criptos que existem por aí. Isso porque preservar o protocolo base é de extrema importância. E não se pode ter tudo em uma Blockchain, pra manter a segurança e a descentralização é preciso sacrificar estabilidade e agilidade da rede.

E as instituições financeiras estão começando a se interessar pelo Bitcoin justamente por causa da segurança que ele oferece. O protocolo e o ecossistema ao redor do Bitcoin é robusto e ele é testado o tempo todo, roda há 12 anos sem parar e é a Blockchain mais forte.

Já a Ethereum é infraestrutura, é uma Blockchain que está começando e pode sim revolucionar as finanças e a tecnologia. É uma plataforma de criação de contratos inteligentes e aplicações descentralizadas. Isso significa que é um Blockchain onde vários contratos podem ser escritos e executados de forma automática. Ethereum também é de código aberto, assim como o Bitcoin.

O que quer dizer que qualquer pessoa usar o Blockchain do Ethereum pra criar seus próprios produtos e aplicativos descentralizados. Além disso, é possível criar um número infinito de Tokens. Várias das AltCoins que existem foram criadas na Blockchain Ethereum.

É uma rede que permite muita experimentação, mas precisa ter atenção com isso. Muitas dessas altcoins criadas na Blockchain Ethereum têm alta taxa de falha. E não é porque foi criado no protocolo Ethereum que é um projeto bom. Depende de quem tá envolvido e responsável pelo projeto.

Ethereum também é mais complexo que Bitcoin na sua camada base e o protocolo segue fazendo alterações nela.

Além disso, Ethereum tem um criador presente nas decisões do protocolo um cara chamado Vitalik Buterin E diferentemente do Bitcoin, que até hoje ninguém sabe quem é Satoshi Nakamoto, essa criatura que inventou o Bitcoin, a presença do Vitalik na linha de frente do Ethereum pode ser boa ou ruim.

Muitas pessoas podem achar bom ter o Vitalik ali sempre à frente dando pitaco na rede, mas por outro lado, isso pode trazer pitadas de centralização pro Ethereum quando comparado com o Bitcoin. Os protocolos De-Fi do Ethereum foram a sensação de 2020 e virou a febre muito mais rápido que as camadas secundárias do Bitcoin como a “Lightning” ou a “Liquid”, por exemplo.

Se no ciclo de 2017 a Ethereum contribuiu para a enxurrada de ICOs, nesse ciclo, é De-Fi que está despertando a curiosidade e a euforia do mundo cripto. Muitos maximalistas do Bitcoin consideram qualquer outra cripto uma perda de tempo e de dinheiro. O ponto é que a maioria das pessoas que fica comprando altcoins acaba perdendo dinheiro no ciclo de baixa que vem depois do “Bull Market”

Muitas dessas criptos pequenas, menores, pegam carona na subida do Bitcoin sem agregar valor no longo prazo. Os maximalistas defendem também que se for pra desenvolver camadas, protocolos e aplicações descentralizadas, que isso seja feito na Blockchain do Bitcoin inves de criar um protocolo separado.

Isso porque o Bitcoin tem a Blockchain mais segura e resistente à ataques. Essa valocidade e essa capacidade de pegar escala para pagamentos, aplicações, poderiam sim ser criadas no Bitcoin só que numa ‘camada 2’ do protocolo, assim como a Internet funciona, é um sanduíche de protocolos que faz tudo funcionar. Tem um post lá no nosso Instagram onde a gente explica como funciona a Internet e como o Bitcoin pode ser a 5° camada, acompanha lá!

Os ‘Ethereum Lovers’, por outro lado, vêem muito valor na rede Ethereum. E, de fato, ela é uma Blockchain que construiu um efeito de rede muito forte. Ethereum está crescendo por causa da Lei de Metcalfe que fala do poder dos efeitos de rede: conforme mais usuários se juntam e começam a participar da rede significa que mais valiosa ela esa ficando.

Isso fica muito evidente quando a gente percebe o que o Google o Facebook e o Uber fizeram aí ao longo dos anos, quanto mais usuários, mais valiosa e maior o efeito de rede e o efeito Metcalfe. E quando se trata de desempenho financeiro e retornos ajustados ao risco, tanto o Bitcoin quanto a Ethereum têm se saído muito bem! Como nesse gráfico: Bitcoin teve um desempenho melhor nos períodos de 2 à 8 anos, enquanto Ethereum tá se saído melhor nos períodos de 1 à 4 anos. Então, no longo prazo, desde que Ethereum foi criada, os dois têm se valorizado bastante eles têm revezado aí as posições de “melhor investimento cripto do ano”

Mas ao mesmo tempo Bitcoin e Ethereum estão altamente correlacionados a corralação de 1 mês quase nunca ficou abaixo de 50% desde o “Bear Maket” de 2018. Agora, em fevereiro de 2021, essa correlação está próxima de 65%. Do ponto de vista como ativo financeiro, Ethereum é impulsionado principalmente pelo ciclo do Bitcoin assim como todas as altcoins. Ethereum pode até superar o Bitcoin no curto prazo se De-Fi se tornar o novo ICO desse ciclo do Bitcoin.

Mas até agora o movimento De-Fi não foi tão forte o suficiente para desacoplar Ethereum do Bitcoin. Do ponto de vista tecnológico, Ethereum é um grande trampolim para lançar aplicações descentralizadas, produtos digitais e coisas que a gente nem imagina que podem existir.

Como diz o livro da Camila Russo: “é uma máquina infinita”. As experimentações de Ethereum ajudam, inclusive, os desenvolvedores do Bitcoin. e de outras criptos aí, a aprenderem o que deu certo e o que deu errado em cada protocolo e poderam experimentar aí em seus Blockchains. Mas como ativo de longo prazo o Bitcoin tem 12 anos de história, e de política monetária consistente, construída em torno de ajustes de dificuldade que acontecem a cada 2 semanas e de reduções de oferta, os ‘halvings’, que acontecem a cada 4 anos.

São essas características que impulsionaram através do algoritmo o preço e a adoção do Bitcoin. O Bitcoin não teve grandes mudanças na sua camada base desde 2017 e têm operado com a mesma estrutura geral desde o início de 2009. As maiores mudanças no ecossistema Bitcoin estão acontecendo sim na “camada 2” para meios de pagamento como ‘Lightining’ e ‘Liquid’ e no desenvolvimento de softwares e hardwares. Ethereum, por outro lado ainda está trabalhando e mudando a sua camada base, tá indo de “Proof of Work” para “Proof of Stake” Isso quer dizes que os computadores não vão mais fazer calculos de verificação constante para fechar cada bloco de informação.

Com “Proof of Stake” quem tem mais volume de Ethereum na rede tem vantagem no processamento dos blocos. Por isso ainda existe muita dúvida e especulação sobre como vai ser essa virada de chave na rede Ethereum de “Proof of Work” para “Proof of Stake”. De Ethereum para Ethereum 2.0.

E quem investe em Ethereum precisa estar ciente que essas mundanças na camada base precisam se consolidar. Tudo ainda é muito experimental e todas essas mundaças precisam ser testadas. [Inserção: “Ready?” (Pronto?)] Bitcoin, por outro lado é verificado e testado todos os dias há 12 anos. Por isso o risco do Bitcoin é menor. Outro ponto interessante de Ethereum é que muitas das Stablecoins rodam na Blockchain Ethereum.

E elas são responsáveis por grande parte da liquidez do mercado cripto. Além disso, protocolos De-Fi começaram a surgir à partir justamente da criação das Stablecoins, sem elas, De-Fi seria muito mais difícil. Algumas pessoas também na comunidade cripto se referem ao Bitcoin como o ouro digital e ao Ethereum como o petróleo digital, ou seja, um é uma reserva de valor e o outro é um facilitador de trabalho. algo que serve de base para criar todo o restante do ecossistema.

Assim como a gente usa o petróleo para fazer combustível, plástico, roupas… Ethereum pode sim se transformar nessa base para a descentralização do futuro, mas isso vai depender, de novo, dele solidificar os seus fundamentos primeiro na camada base.

Então, mudanças seguem acontecendo aí e com isso é difícil avaliar qual modelo de segurança e política monetária e aceitação futura do Ethereum no mercado global através do Ethereum 2.0. Ainda mais agora com outras Blockchains focando em contratos inteligentes.

A competição para cima do Ethereum está aumentando. Já o Bitcoin é a criptomoeda com maior grau de segurança, escassez e solidez nos registros em Blockchain. E isso deixa ele anos-luz à frente das outras criptos. Pra ultrapassar o Bitcoin as criptos vão ter que comer muito feijão digital.

E Bitcoin e Ethereum são ativos diferentes e com riscos e retornos diferentes. Ambos podem estar na sua carteira cripto, só é importante você estabelecer o seu perfil investidor e dimensionar a proporção de cada um de acordo com a tolerância de risco que você aceita tomar.

Você encontra Bitcoin e Ethereum na plataforma do Mercado Bitcoin. O link está aqui no vídeo para você abrir sua conta gratuitamente. Até a próxima, tchau!

Poderá ver o vídeo no youtube Aqui

Rafael Cruz